Núcleo Clima É Inaugurado Com Evento Voltado ao Semiárido

124db15c-a761-47e6-8a24-070620652ecd

O Núcleo Clima realizou de 17 a 21 de Setembro, no Centro Vocacional Tecnológico (CVT-Sousa) e na sede do Instituto Federal da Paraíba (IFPB) – Campus Sousa, o I SENERGIA SEMIÁRIDO. O objetivo do evento é divulgar o Núcleo entre a comunidade acadêmica e a população do alto sertão paraibano, através de cursos de formação, debates, mesas-redondas e exposições de tecnologias sociais.

Nos primeiros dois dias, o professor Heitor Scalambrini da Universidade Federal do Pernambuco, ministrou um minicurso sobre a Evolução Histórica do uso da Energia abordando também o papel das Fontes Renováveis no Brasil.

No terceiro dia, a solenidade contou com palestras, mesa-redonda e exposições de projetos desenvolvidos no IFPB. Na área do estacionamento, os participantes puderam conhecer o funcionamento do fogão solar e de fontes alternativas de energias.

IMG-20160818-WA0021

Esteve presente o publicitário e ambientalista Fernando Perissé que em sua apresentação alertou que se não reduzirmos as emissões de gases poluentes a temperatura subirá mais 0,8°C até 2050 deflagrando uma séria de consequências gravíssimas e irreversíveis no ecossistema. Perissé também enfatizou a necessidade da adoção de estratégias para convivência com o Semiárido e de adaptação para o Árido.

O professor do IFPB, Hugo Vieira, também participou da mesa-redonda. Ele destacou o potencial aproveitamento de energia renovável que o biodigestor oferece. O equipamento é usado para o processamento de matéria orgânica, a exemplo de esterco de animais, podas de plantas, feixes de lenha, entre outros.  Do processamento da matéria orgânica são produzidos o biogás, biofertilizante e energia elétrica.

Segundo o docente, através da construção de 5 biodigestores, o IFPB possuiria capacidade para fornecer energia elétrica aos galpões, produzir gás para o restaurante e ainda produzir biofertilizante.“Com isso nós economizaríamos na compra do gás, reduziríamos o consumo de energia a partir da matriz água e também teríamos uma economia na compra de fertilizantes,” disse.

 IMG-20160821-WA0012Nos últimos dois dias, dando continuidade ao mini-curso ministrado pelo professor Heitor  Scalambrini, o professor do IFPB, Walmeran Trindade, apresentou de forma didática como aproveitar a energia solar a partir do uso da tecnologia fotovoltaica.

O mesmo demonstrou na prática como funciona o sistema de captação de energia solar, o custo econômico e as possibilidades de aplicação na realidade do Semiárido. Outro ponto relevante é a adaptação da tecnologia às necessidades naturais do sol.

“Eu acredito que a boa vontade de um grupo de ambientalistas, de alcançar  um conhecimento novo e discuti-lo foi o que moveu esse encontro.  Acho que essa empolgação contribuiu para que as pessoas do curso de tivessem acesso a essa tecnologia nova que se abre pra gente como uma coisa aplicável para a nossa realidade,” disse a coordenadora do Núcleo Clima, Lúcia Mara, que avaliou  o evento de forma positiva. 

O mestrando da UFCG, Woslley Nogueira, foi um dos participantes do mini-curso.  Para ele, o curso contribuiu  para trazer uma visão mais ampla sobre as fontes de energias renováveis. “É muito importante  refletir  sobre soluções alternativas para geração de energia elétrica, que causem menos impacto ambiental  e consequentemente colaborem com a qualidade de vida humana em relação ao meio ambiente”, assinalou o estudante.

O I SENERGIA SEMIÁRIDO é uma realização do Núcleo Clima do IFPB Campus Sousa, vinculado à Pró-Reitoria de Extensão, e tem o apoio do Comitê de Energias Renováveis do Semiárido (CERSA), da Cáritas Brasileiras, da Misereor e do Projeto Semiárido Solar.

 

Enio Marx – Assessor de Comunicação do CERSA

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *