Em Sousa, Secretário de Ciência e Tecnologia da PB Participa de Audiência Para Discutir Implantação do Instituto de Estudo e Pesquisa Vale dos Dinossauros

 

O Comitê de Energia Renovável do Semiárido (CERSA) promoveu no sábado (11), no Centro de Vocação Tecnológica (CVT – IFPB), em Sousa, um encontro com o secretário de Ciência e Tecnologia do estado da Paraíba, Claúdio Furtado. A reunião teve como pauta principal a criação do Instituto de Estudo Pesquisa Vale dos Dinossauros que visa promover a identificação e o desenvolvimento das potencialidades locais em seus aspectos geoambientais, culturais e socioeconômicos por meios das atividades de ensino, pesquisa e extensão e a capacitação de recursos humanos.

Na ocasião, estiveram presentes o coordenador geral do CERSA, César Nóbrega, o professor do IFPB-Campus Sousa, Tibério Araújo, o paleontólogo da UNICAMP, Tito Aureliano e os professores da UFCG – Campus Cajazeiras, Adriana e Marcelo Brandão.

A expectativa é que o Instituto de Estudo e Pesquisa Vale dos Dinossauros seja criado em parceria com as Instituições de Ensino Superior da Paraíba. Para tanto, uma reunião será realizada no dia 14 de junho, na cidade de Sousa, para articular todos os setores da sociedade, em especial, pesquisadores e representantes das universidades para traçar um plano que viabilize a criação do Instituto.

“Muito importante estar em Sousa para discutir a situação do Vale dos Dinossauros e de outros temas indispensáveis para o desenvolvimento do Semiárido como a preservação da caatinga, o enfrentamento das mudanças climáticas e as energias renováveis,” disse o secretário.

Quando perguntado sobre ações do governo do estado para a conservação das pegadas, Claúdio Furtado, informou que A SUDEMA está finalizando o plano de manejo, ou seja, um  documento técnico mediante o qual se adota diretrizes para que se faça uma contenção das ações humanas e climáticas sobre a área de preservação ambiental. Após este procedimento, o IPHAN e o IPHAEP estarão aptos a fazer uma intervenção para combater os problemas causados pelas intempéries que estão destruindo as pegadas.

O paleontólogo Tito Aureliano, foi um doas colaboradores para a formulação do Manifesto SousaTitan, que foi entregue ao secretário. O documento contém medidas a curto, médio e longo prazo que devem ser tomadas para a preservação das pegadas.

“A criação de centro de pesquisa pode ajudar a viabilizar a administração e a expansão deste patrimônio cultural de Sousa podendo trazer recursos para a comunidade sousense participar mais da cultura local e ajudando a exportar conhecimento, ” disse.

Durante a audiência, o coordenador geral do CERSA, César Nóbrega, apresentou mais dois documentos. O primeiro versa sobre a criação do “Fórum Paraibano de Mudanças Climáticas e Biodiversidade”. A ideia é promover a cooperação mutua, entre órgão públicos, privados e a sociedade civil, visando conscientizar e mobilizar a sociedade paraibana para a discussão e apoio sobre o fenômeno das mudanças climáticas locais e globais.

Por fim, o segundo documento trata do “Plano Estratégico Sustentável Para o Uso de Energia Solar no Semiárido”.  O objetivo é refletir no Plano Estratégico o compromisso do governo estadual, com a opção do uso da energia solar como fonte de energia relevante para o desenvolvimento social e econômico do semiárido.

 

Sobre o CERSA

O Comitê de Energia Renovável do Semiárido é um coletivo, fundado em 2014, do qual fazem parte várias organizações, pesquisadores e colaboradores. O objetivo do Comitê é promover uma articulação em prol da luta pela mudança da matriz energética brasileira e discutir soluções para minimizar os impactos negativos causados pelas mudanças climáticas no semiárido.

O CERSA é integrante do Fórum de Mudanças Climáticas e Justiça Social, da Frente Por uma Nova Política Energética e tem apoio da MISEREOR.

 

ENIO MARX- ASSESSOR DE COMUNICAÇÃO DO CERSA

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *