CERSA Realiza Sessão Plenária Para Avaliar Atuação

 

Aconteceu no dia 8 de Julho, na sede do Instituto Federal da Paraíba (IFPB) – Campus Sousa, uma plenária do Comitê de Energias Renováveis do Semiárido (CERSA). O objetivo é reunir os integrantes do comitê, os parceiros, voluntários, representantes de instituições de ensino e pesquisa, públicas e privadas para avaliar os trabalhos realizados e em andamento além de aprovar novas propostas de pauta.

A programação teve inicio ás 9h com a acolhida do diretor do IFPB-Campus Sousa, Eliezer Siqueira. Ele fez um breve relato das dificuldades que vive a escola neste momento de crise e elogiou a iniciativa daqueles que buscam alternativas visando o bem coletivo.

O coordenador-geral do CERSA e membro da diretoria da Frente por Uma Nova Política Energética, Cesar Nóbrega, fez uma retrospectiva das ações encaminhadas e citou o exemplo da audiência pública realizada pela Assembleia Legislativa como instrumento de divulgação das atividades do CERSA.

Nóbrega deu ênfase aos dois importantes projetos de energia solar: Escola Solar e Padaria Solar que estão em fase de andamento. Também enalteceu a inserção do Comitê no Fórum de Mudanças Climáticas e Justiça Social e na Frente por Uma Nova Política Energética.  Ele encerrou seu discurso dizendo que o grande referencial da entidade é a Carta de Pombal que deve ser atualizada e alterada sempre que algo novo for surgindo nas ações que forem sendo desenvolvidas.

O deputado estadual Jeová Vieira Campos esteve presente na ocasião e lamentou a exoneração de João Paulo da Superintendência do Nordeste. Segundo o parlamentar, o ex-superintendente da SUDENE estava sempre aberto para dialogar sobre novos rumos dos recursos da Instituição em benefício de projetos voltados para o meio ambiente.

Jeová Campos informou ainda que a Secretaria de Educação do estado da Paraíba está implantando a Escola Técnica Estadual em Cajazeiras. A instituição irá ofertar cursos na área de energia com enfoque em energias renováveis.

Já o professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Heitor Scalambrini falou da atual conjuntura das mudanças climáticas que motivaram os estados brasileiros a criarem fóruns com essa temática.

“Não estou falando aqui que o CERSA tem que se tornar um fórum estadual de mudanças climáticas, mas temos que refletir neste campo de atuação”, disse.

A professora da Universidade Federal de Campina Grande, Ricélia Sales esteve na solenidade e destacou a importância da população participar da discussão sobre a implantação de energias renováveis no semiárido brasileiro. Segundo a docente, esse é o motivo da articulação politica do CERSA.

“Nós primeiro, chamamos a população para conhecer as experiências exitosas existentes. Posteriormente,  nós partiremos para uma proposta de politica efetiva a partir do apoio da população”, afirmou

O encontro também contou com a participação de outros colaboradores como a representante regional do SEBRAE-Pombal Socorro Oliveira, o ex-presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-PB) Sérgio Almeida, o técnico agrícola do Programa de Ação Social e Politicas Públicas (PASPP) Aíres Humberto, a representante do Núcleo de Extensão e Desenvolvimento Territorial Vale do Piranhas Aldineide Oliveira e o representante da Articulação do Semiárido Paraibano – ASA-PB José de Anchieta. Também contribuíram com as discussões, os docentes do IFPB Walmeran Trindade, Hugo Vieira e Tibério Araújo e também o professor da UFCG, Gustavo Sales.

 Núcleo Clima

Lúcia Mara

Ainda na plenária do dia 08 de Julho, a professora do IFPB Lucia Mara anunciou a aprovação do Núcleo Clima no edital “Rede Rizoma IFPB: Tecnologia em Extensão”. O objetivo do núcleo é promover atividades que envolvam as mudanças climáticas, bem como, demonstrar a aplicação das energias renováveis na diminuição dos efeitos provocados pelo fenômeno.

“Essa aprovação nos garante legitimidade, pois passamos a ser um núcleo institucionalizado pelo IFPB. Partindo desse pressuposto, podemos pensar em como podemos agir e iniciar as atividades do núcleo”, disse.

O Núcleo Clima promoverá no mês de Agosto um evento cuja finalidade será apresentar á comunidade acadêmica do IFPB e ao público externo o funcionamento do projeto que estará alicerçado em três eixos: água, climatologia e energias renováveis,

Já no mês de outubro, o núcleo promoverá o evento “Sementes do amanhã: uma iniciativa de educação ambiental” que visa formar docentes da rede municipal de ensino de Sousa que lidam com a temática do meio ambiente em sala de aula.

 

Enio Marx – Assessor de Comunicação do CERSA

Vídeo e Imagens: Pedro Rodrigo Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *