CERSA Participa de Avaliação Externa Da Misereor

Conversa da avaliadora Julia Ester com os docentes do IFPB - Campus Sousa
Conversa da avaliadora Julia Ester com os docentes do IFPB – Campus Sousa

A avaliadora externa da Misereor, Julia Ester, visitou nos dias 09 e 10 de Junho as ações desenvolvidas pelo Comitê de Energias Renováveis do Semiárido (CERSA) no Alto Sertão Paraibano.

A Misereor é uma entidade  episcopal alemã para cooperação e desenvolvimento,  visando proporcionar condições à população carente para que consigam melhorar sua situação de vida e desencadear processos de transformação política e social.. Por mais de 50 anos, a instituição tem se comprometido em combater a pobreza na África, Ásia e América Latina.

A agente da Misereor, visitou o centro de formação de camponeses de Frei Beda em Cajazeiras,  e em seguida esteve presente no IFPB-Campus Cajazeiras para saber sobre a parceria do Instituto com o CERSA. Depois, Julia Ester se dirigiu á Paróquia de Sant’Ana em Sousa para conhecer o Projeto Igreja Solar e terminou o dia visitando o IFPB – Campus Sousa para dialogar com os professores Chico Nogueira e Lucia Mara sobre as metodologias aplicadas em sala de aula sobre mudanças climáticas.

No dia seguinte, Julia entrou em contato com o Projeto Padaria Solar executada em Pombal . A avaliadora encerrou a programação visitando o município de Aparecida para saber como o município está se preparando para receber a Gestão Eficiente de Energia, em parceria com o Sindicato dos Trabalhadores Rurais e a Emater.

 “A coordenação do Fórum de Mudanças Climáticas e Justiça Social fez uma escolha muito adequada  quando me colocou para o sertão da Paraíba. Porque o fato de você ter a presença do CERSA, que envolve uma diversidade de parcerias, deu um olhar mais amplo de como é tratado as mudanças climáticas e como ele aterrissa concretamente em um determinado território,” disse.

A Misereor considera a avaliação como um processo de aprendizado, tanto para o avaliador quanto para a instituição que está sendo analisada.  A metodologia é aplicada a partir do projeto e do prazo que ele tem para ser executado, considerando também os objetivos, as atividades e os indicadores.   O processo é feito de forma transparente  calcada na relação entre o avaliador, a instituição que vai ser avaliada e a organização parceira que financia o projeto.

Julia Ester é avaliadora da Misereor com foco na área de “planejamento, monitoramento e avaliação, direitos humanos e politicas urbanas”. O CERSA foi a primeira experiência visitada através da parceria com Fórum de Mudanças Climáticas e Justiça Social. Além da Paraíba estão no roteiro da avaliadora o Rio de Janeiro e o Distrito Federal.

 

ENIO MARX – ASSESSOR DE COMUNICAÇÃO DO CERSA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *