Agentes Comunitários de Energia

O Comitê de Energia Renovável para o Semiárido (CERSA), se reuniram na manhã de terça (15/03) com a diretora do IFPB/Campus Cajazeiras Lucrécia Petrucci e o professor Marcéu Adissi, e com membros Instituto Frei Beda. O principal objetivo do encontro foi fortalecer a parceira entre as instituições e discutir um projeto que promoverá a eficiência energética em comunidades e instituições públicas de ensino de Cajazeira se Região.

O professor Marcéu Adissi é membro do Núcleo de Extensão Campo Solar, integrante da Rede Rizoma do IFPB. Segundo ele, o Núcleo tem participado de várias discussões, com diversas entidades nacionais e tem trabalhado para, junto com parceiros, desenvolver projetos que promovam pesquisas e ações de Extensão Tecnológica na região do Semiárido. O professor Walmeran, atua em dois lados da parceria, tanto no IFPB, como membro do CERSA, explicou que as instituições se uniram e submeteram um projeto junto ao Fundo Sócio Ambiental Casa.

“Esse projeto pretende trabalhar a eficiência energética em escolas e comunidades através da ação de Agentes Comunitário de Energia. Esses agentes seriam os nossos próprios alunos, do Campus Cajazeiras, orientados pelos professores daqui, que vão trabalhar a questão tanto do ponto de vista tecnológico, quanto comportamental. Tecnologicamente eles irão observar a qualidade das instalações elétricas e equipamentos, especialmente de iluminação e ventilação. E apresentar para essas comunidades a energia fotovoltaica (solar) Na parte comportamental, serão trabalhadas as mudanças de hábitos relacionadas ao consumo de energia” contou Prof. Walmeran (IFPB Campus João Pessoa).

César Nóbrega, coordenador do Comitê de Energia Renovável para o Semiárido e Francisco Jossean Alves Bezerra, do Instituto Frei Beda, ressaltaram que ações e parcerias que colaborem para transformar o atual modelo produtivo são fundamentais, notadamente no tocante à produção energética. “Precisamos aproveitar o nosso potencial para transformar o sol em energia. Ter o IFPB e seus pesquisadores conosco nessa empreitada é muito importante é levar o conhecimento da academia para a sociedade”, afirmou César.

A diretora Lucrécia Petrucci se mostrou empolgada com as potencialidades das parceiras e do projeto dos Agentes Comunitários de Energia. “Estamos aqui para estimular nossa comunidade na pesquisa e na busca de soluções para os problemas da sociedade. Poder fazer dos nossos alunos agentes propagadores do conhecimento e agentes de uma importante mudança social é algo que nos traz a certeza de cumprir nosso papel”, disse.

Adaptado do  Texto de Lidiane Maria – Jornalista do IFPB/Campus Cajazeiras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *